Voltar
Publicado em: 05/04/2017 às 14:48

Solenidade marcará doação de acervo de Roberto Santos ao Centro de Memória da Bahia

Por: Ascom/Fapesb

A solenidade para a assinatura do Termo de Doação do acervo documental privado do ex-governador Roberto Santos, à Fundação Pedro Calmon, acontecerá na sexta-feira (7), às 18h, no Palácio da Aclamação, no Campo Grande, em Salvador. O acervo acumulado durante toda a vida do médico, professor e político, é composto por mais cerca de 10 mil itens, dentre documentos textuais, iconográficos e bibliográficos.

Levando em consideração a sua expressiva contribuição à vida política da Bahia e do Brasil, a doação ao CMB garante a preservação do acervo, que quando disponibilizado à comunidade acadêmica, poderá contribuir para os avanços dos estudos acerca dos processos políticos do século passado.

O acervo já foi transferido para o Centro de Memória da Bahia – unidade vinculada à FPC/SecultBA, foi completamente higienizado e se encontra, no momento em fase de descrição e catalogação, de acordo com a Norma Brasileira de Descrição Arquivística (NOBRADE).

Documentos e Identificação

O ex-governador Roberto Santos realizou diversas visitas ao CMB para fazer a identificação das personagens constantes nas fotografias que compõem o acervo. No total, foram 5.426 imagens, que juntamente com a referida identificação do contexto social e político de diversos eventos e circunstâncias, enriquecerá a descrição dos registros iconográficos.

Correspondências, relatórios, termos, projetos, além de outros tipos de documentos constituem o acervo. Além disso, foram doadas fotografias e negativos, documentos textuais, acervo particular e pastas com documentos de governo.

Os livros escritos pelo ex-governador também estão na lista: “A universidade e os novos propósitos da sociedade brasileira” (1973); “Reflexões sobre temas da atualidade” (2005); e dois exemplares de “Um mandato parlamentar a serviço de causas sociais” (1998).

Bio

Roberto Santos nasceu em Salvador em 15 de setembro de 1926, é médico, professor e político brasileiro. Foi governador da Bahia entre 1975 e 1979, e ministro da Saúdo entre 1986 e 1987. Em seu governo, destaca-se a criação do Centro de Educação Tecnológica da Bahia (Centec), atual Instituto Federal da Bahia (IFBA); e o Museu de Ciência e Tecnologia, primeiro do gênero na América Latina.

Promoveu a criação dos Centros Sociais Urbanos, e em 1976, publicou decreto garantindo a liberdade de culto das religiões afro-brasileiras na Bahia. O governador também pôs em prática o Programa de Interiorização das Ações de Saúde e Saneamento, do Governo Federal, para prevenção de endemias.

Fonte: Fundação Pedro Calmon

Facebook
Twitter
Voltar