Fechar Link

Notícias

Fapesb apoia Simpósio Baiano de Medicina Equina

041_Foto_04_05_2015

Com o intuito de contribuir para o fortalecimento dos cursos de Medicina Veterinária da Bahia, a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb) apoia o II Simpósio Baiano de Medicina Equina (SIMBAMEQ), que acontecerá de 7 a 9 de maio, no Auditório da EBDA, em Salvador. O objetivo do evento é discutir a lacuna existente nas universidades baianas quanto ao ensino da técnica e do conhecimento da Hipiatria, que vêm sendo mais desenvolvidos e aplicados no campo do que no meio acadêmico.

A primeira edição do evento, que aconteceu em 2013, contou com mais de 150 participantes inscritos, entre alunos de graduação e pós-graduação, de seis instituições de ensino superior diferentes e profissionais renomados da Hipiatria. Os coordenadores do SIMBAMEQ pretendem realizar novas edições a cada 24 meses, visando estimular a produção científica, o ensino e extensão universitária na temática da Hipiatria na Bahia.

O II SIMBAMEQ é realizado pela Sociedade de Medicina Veterinária da Bahia e Associação de Médicos Veterinários de Equinos da Bahia.

Acesse o site do evento para mais informações.

Por: Ascom/Fapesb

Fapesb lança seis editais no valor de R$ 34,8 milhões

040. Foto 30.04.2015

A Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb) lançou, nesta quinta-feira, seis editais no valor total de R$ 34.832.000,00 (trinta e quatro milhões, oitocentos e trinta e dois mil reais). Nos últimos sete anos, a Fapesb lançou 189 editais e chamadas públicas, destinando R$ 543,8 milhões ao fomento de projetos de pesquisa científica e de inovação e apoiou cerca de 4.600 projetos. Confira os seis novos editais:

EDITAL 003/2015 – PROGRAMA INFRAESTRUTURA DE PESQUISA

Universidades, instituições de ensino e centros de pesquisa localizados na Bahia podem contar com o apoio da Fapesb para a implantação, ampliação, recuperação e modernização de sua infraestrutura física para pesquisa. Por meio do Programa de Infraestrutura de Pesquisa, a Fapesb busca o fortalecimento da pós-graduação stricto sensu no Estado, promovendo a melhoria dos laboratórios e a aquisição de equipamentos.

A Fapesb espera que os projetos a serem apoiados por este edital se desdobrem na criação de novos Programas de Pós-Graduação stricto sensu ou na melhoria dos seus conceitos nas avaliações da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior – Capes. Os projetos deverão ainda contribuir para a ampliação do conhecimento e das competências científicas do estado, estimulando o desenvolvimento de novas tecnologias.

O valor do Edital de Infraestrutura de Pesquisa é de R$ 6.000.000,00 (seis milhões de reais).

EDITAL 004/2015 – COOPERAÇÃO INTERNACIONAL

Para estimular a parceria entre pesquisadores brasileiros e estrangeiros, a Fapesb, por meio do Edital de Cooperação Internacional, apoia projetos de pesquisa conjuntos, que deverão ser desenvolvidos por pesquisadores doutores, vinculados a instituições de ensino superior ou de pesquisa, localizadas na Bahia, em parceria com pesquisadores estrangeiros, vinculados a instituições científicas e/ou tecnológicas sediadas no exterior.

O objetivo da Fapesb com este edital é contribuir para a formação de profissionais qualificados nas instituições baianas através da ampliação do número de doutores, pós-doutores e pesquisadores visitantes, o aumento do número de Cursos/Programas de Pós-Graduação e de ações institucionais de cooperação internacional.

Para este edital, a Fapesb disponibilizou R$ 2.000.000,00 (dois milhões de reais).

EDITAL 005/2015 – UNIVERSAL

A fim de apoiar projetos de pesquisa que contribuam de forma significativa para o desenvolvimento científico e/ou tecnológico do Estado da Bahia, em qualquer área do conhecimento, a Fapesb lançou o Edital Universal Fapesb. O edital segue os moldes do Edital Universal do CNPq e contempla três faixas. A Faixa A destina-se a jovens pesquisadores, que obtiveram o título dentro dos últimos 5 anos; a Faixa B é para pesquisadores em consolidação; e a Faixa C abrange os pesquisadores já consolidados.

O valor deste edital é de R$ 8.500.000,00 (oito milhões e quinhentos mil reais).

EDITAL 008/2015 – APOIO A PROJETOS DE PESQUISA PARA JOVEM CIENTISTA NO ESTADO DA BAHIA

Pesquisadores doutores recentemente formados podem contar com o apoio da Fapesb para o desenvolvimento de projetos de pesquisa. Por meio do edital de Apoio a Projetos de Pesquisa para Jovem Cientista, a Fapesb fomenta projetos propostos por doutores com até 5 anos de formação. O intuito da Fundação é estimular novos talentos, ampliando as competências científicas e/ou tecnológicas nas instituições de ensino superior localizadas no estado.

A Fapesb disponibilizou R$ 3.000.000,00 (três milhões de reais) para este edital.

EDITAL 011/2015 – PROGRAMA DE BOLSAS DE MESTRADO E DOUTORADO

Fortalecer a Pós-Graduação no estado da Bahia é o principal objetivo deste edital. Por meio da concessão de bolsas de Mestrado Acadêmico ou Doutorado, a Fapesb visa contribuir para a formação de recursos humanos qualificados para pesquisa científica, tecnológica e inovação.

Para isso, foram disponibilizados R$ 10.332.000,00 (dez milhões, trezentos e trinta e dois mil reais), sendo R$ 9.360.000,00 da Fapesb e R$ 972.000,00 da CAPES.

EDITAL 013/2015 – APOIO A PROJETOS DE PESQUISA E PRODUÇÃO DE CONHECIMENTO NA ÁREA DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO – TIC NO ESTADO DA BAHIA

Com este edital inédito, a Fapesb busca fortalecer a área de Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC) no estado. O objetivo é fomentar projetos de pesquisa desenvolvidos por pesquisadores doutores, a fim de consolidar e ampliar as competências científicas e tecnológicas na área de TIC, nas instituições de ensino superior e de pesquisa, públicas ou particulares sem fins lucrativos, localizadas no estado da Bahia.

Para este edital, a Fapesb disponibilizou R$ 5.000.000,00 (cinco milhões de reais).

Todos estes editais têm como objetivo, também, a formação de novos grupos de pesquisa, promovendo o fortalecimento da base de pesquisadores da Bahia e o incremento da produção científica baiana, na sua quantidade, diversidade e principalmente qualidade, em todas as áreas do conhecimento.

Clique aqui para conferir os editais.

Por: Ascom/Fapesb

Doença misteriosa é descoberta por pesquisadores baianos com apoio da Fapesb

Sintomas semelhantes à dengue têm acometido diversos moradores de Camaçari, Salvador, Feira de Santana e outros municípios

038. Foto 29.04.2015

Os pesquisadores Gúbio Soares e Silvia Sardi, do Instituto de Ciências da Saúde da Universidade Federal da Bahia (UFBA), descobriram um novo vírus que vem causando sintomas semelhantes aos da dengue e assustando a população baiana. O Zika Vírus foi identificado esta semana em amostras de sangue de pacientes de Camaçari, por meio de uma técnica chamada RT-PCR. A descoberta foi possível graças ao apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb) que disponibilizou recursos através do Programa de Apoio à Pesquisa para o SUS (PPSUS).

Segundo Gúbio, o Zika Vírus causa um quadro muito parecido com o da Dengue, em que o paciente pode apresentar sintomas como febre, diarreia, dores e manchas no corpo. Porém, este novo vírus é mais fraco e os sintomas mais brandos: “Zika Vírus não é tão grave quanto Dengue ou Chikungunya, não leva o paciente à morte. O quadro parece alérgico, é mais tranquilo e o tratamento é o mesmo”, explica o pesquisador. Além destes sintomas, o paciente pode apresentar sinais de conjuntivite.

O Zika Vírus nunca foi detectado no Brasil ou na América Latina. Esta é uma descoberta inédita, muito importante para o país em termos científicos, mas também para tranquilizar a população: “Quando você dá um diagnóstico, o paciente já vai mais tranquilo para o hospital”, diz Gúbio. “É muito importante para nosso grupo ter descoberto este vírus pela primeira vez no Brasil, e isso graças ao apoio da Fapesb.”

O Zika Vírus é transmitido pela picada do mosquito aedes aegypti, aedes albopictus e outros tipos de aedes.

Por: Lorena Bertino – Ascom/Fapesb

Confira entrevista do diretor geral da Fapesb para a agência Ciência e Cultura

O novo diretor da Fapesb, Eduardo Santana de Almeida comenta sobre os planos e propostas da nova gestão e de sua experiência como pesquisador. Eduardo Santana é doutor em Ciência da Computação e professor adjunto da Universidade Federal da Bahia.

037. Foto 29.04.2015

Como você caracteriza o cenário baiano para a pesquisa?

Se observarmos os últimos anos, poderemos identificar uma importante melhora. Por exemplo, em 2000, a Bahia possuía 37 programas de mestrado, onde 32 deles estavam nas Federais. Em 2009, a Bahia já contava com 108 programas (58 nas Federais, 35 nas Estaduais e 15 nas Particulares), um aumento significativo. Por outro lado, em 1998, a Bahia contava com 14 Programas de Doutorado todos em instituições Federais. Em 2008, o estado já contava com 39 programas (33 nas Federais, 4 nas Estaduais e 2 nas Particulares).

Podemos associar a Bahia como grande polo de desenvolvimento de pesquisas? Se sim, como isso se constituiu?

Em algumas áreas temos um desempenho muito bom. Por exemplo, o único programa de pós graduação do norte/nordeste conceito 7 da CAPES é o de Saúde Coletiva da UFBA. Por outro lado, temos poucos programas com o conceito 6. Assim, precisamos melhorar em algumas áreas importantes. Por exemplo, em áreas estratégicas como: Computação, Física, Química e Matemática, não temos programas de excelência. Em Pernambuco, por exemplo, a UFPE tem conceito 6 para importantes cursos como Computação, Física e Química.

De que forma a sua gestão pretende contribuir nas áreas de pesquisa e inovação?

Acredito que devemos ter um maior foco em determinadas ações, em especial: os editais para bolsas de mestrado e doutorado, cooperação internacional, ações estratégicas na área de pesquisa para o estado visando o fortalecimento de competências já existentes e criação de novas áreas chaves, além de ações visando a interação entre empresas e universidades. Além disso, pretendemos acompanhar mais de perto essas ações com alguns indicadores para melhor entender o reflexo das mesmas.

Como está o andamento dos projetos, existirá alguma mudança? Há novos projeto e novos editais? Quais?

Estamos trabalhando duro para o lançamento dos novos editais. Temos algumas mudanças principais que estão alinhadas com o que comentei anteriormente: ajustamos todos os editais para dar uma maior flexibilidade aos pesquisadores com base em itens apoiados e exigências; lançaremos alguns editais em áreas estratégicas para o Estado e criaremos um edital no modelo do Edital Universal do CNPq.

Como é ter tido pesquisa financiada pela Fapesb no mestrado e agora retornar como diretor?

Uma satisfação muito grande. Algo como olhar para trás e pensar em toda a caminhada e ver que todo o esforço valeu a pena. Certamente, aquele apoio para o meu trabalho de mestrado foi de suma importância, pois me deu a possibilidade de focar só na minha pesquisa, uma vez que eu precisava de recursos para me manter fora do estado.

Quais as possibilidades de novas parcerias com as universidades?

Pretendemos manter algumas ações existentes e ajustar outras ao longo da gestão. Todos esses aspectos estão sendo analisados pela nossa equipe com o objetivo de contribuir com as universidades na busca pela excelência.

O que pretende fazer diferente da gestão de Roberto Lopes?

Se observamos as diferentes gestões da FAPESB, acredito que todos os diretores contribuíram de alguma forma. Na minha gestão, pretendo estabelecer o fomento estratégico com diferentes ações; aumentar a eficiência na condução dos processos administrativos trazendo redução significativa do trabalho dos pesquisadores; além de definir uma série de indicadores para a fundação. Os mesmos serão de fundamental importância para direcionamento e acompanhamento das ações estabelecidas.

Quais são os principais investimentos planejados para a sua gestão?

O fomento estratégico aos cursos de Pós Graduação visando a excelência acadêmica; o fortalecimento dos acordos de cooperação internacional; e o fomento à pesquisa e inovação em áreas estratégicas para o Estado.

O seu histórico com a Fapesb, inclusive como pesquisador, contribui de que forma para o seu trabalho atual?

Até Março deste ano, eu estava atuando como pesquisador e vice-coordenador da câmara de Engenharias e Computação, então eu entendo bem alguns problemas enfrentados pela comunidade cientifica. Assim, espero que ao fim da minha gestão, esses aspectos possam ser mitigados.

É possível que a crise federal impossibilite a realização desses projetos?

Certamente, o cenário de crise é preocupante. Assim, as nossas ações devem ser cuidadosamente planejadas para maximizar o uso dos recursos e o retorno das mesmas.

Pensando no atual momento do país, de crises financeiras, é possível que as áreas de ciência e tecnologia dos estados sejam afetadas?

Acredito que sim. No entanto, temos que buscar o diálogo com os diferentes atores envolvidos no processo para manter a “máquina” andando e em constante evolução.

Falando um pouco do nosso trabalho na Agência de Notícias em C,T&I – Ciência e Cultura, como a Fapesb estuda abarcar os projetos nas universidades que promovam a divulgação e a popularização da ciência de maneira mais profissional?

Acredito que através de editais para popularização da ciência, por exemplo. Existe a possibilidade disso para 2015.

Como fomentar uma aproximação entre escolas e as pesquisas científicas para que a ciência e a tecnologia façam parte do cotidiano de jovens e de cada vez mais brasileiros?

Esse aspecto é de fundamental importância e envolve outras entidades. No nosso caso, temos um constante diálogo com a Secretaria de Ciência Tecnologia e Inovação (SECTI) que trabalha também com ações desse tipo. A FAPESB tem também algumas ações específicas como editais que permitem a participação de alunos de escolas e iremos estabelecer uma maior aproximação com esse público. Mas, certamente, é algo que precisamos avançar muito e despertar desde cedo esse interesse nos jovens.

Secretário de C&T, Manoel Mendonça, fará palestra na Fapesb

No dia 07 de maio, o Secretário estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação, Manoel Mendonça, estará na Fundação de Amparo à Pesquisa (Fapesb) para falar sobre Cadeias do Processamento do Conhecimento no Estado da Bahia. (…)

Seminário de Trabalho em Enfermagem é realizado em Salvador com apoio da Fapesb

036. Foto 24.04.2015

Teve início ontem o 4º Seminário Internacional sobre o Trabalho em Enfermagem, promovido pela Associação Brasieira de Enfermagem (ABEn), que acontece até o dia 25 no Hotel Fiesta em Salvador-BA. O tema do evento é “A Precarização do Trabalho em Enfermagem” e o objetivo é aprofundar a discussão sobre as transformações do campo do trabalho em enfermagem determinadas pelo modo de produção capitalista a fim de provocar o surgimento de propostas de intervenções para as entidades politicamente organizadas. O Seminário está sendo realizado com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb).

Durante a solenidade de abertura, as autoridades da área de enfermagem presentes enfatizaram o caráter político do evento e a importância de se discutir a valorização do profissional. Tânia Bulcão, presidente da ABEn Bahia, lembrou da seriedade do tema diante das atuais ameaças vindas do Congresso Nacional: “Escolhemos esse tema e discutir um assunto tão delicado, com todas as ameaças do momento, nos cai muito bem”. Segundo ela, a presença de tantos profissionais de diferentes estados é um gesto de reconhecimento da relevância desta discussão. “Este é um evento político, técnico e científico, e espero que saiamos daqui transformados e sigamos firmes na luta pela defesa do nosso campo de trabalho”, disse.

Ângela Alvarez, presidente da ABEn Nacional, disse que é importante ter clareza sobre o valor do trabalho da enfermagem para toda a sociedade e que o Seminário Internacional sobre o Trabalho em Enfermagem tem oportunizado essa reflexão, articulando as diversas faces da profissão. Ela falou ainda sobre a necessidade de se garantir condições justas de trabalho para os enfermeiros, pois o número de profissionais por paciente nos centros urbanos brasileiros está aquém da necessidade da população, o que compromete o trabalho. “Não podemos deixar de nos colocar sobre nossos direitos e defender a saúde para todos”, afirmou.

Também fizeram parte da solenidade de abertura Maria Luisa Castro, presidente do Conselho Regional de Enfermagem da Bahia (COREN-BA), Lúcia Esther Duque, presidente do Sindicato de Enfermeiras e Enfermeiros do Estado da Bahia (SEEB), Heloniza Gonçalves Costa, Diretora da Escola de Enfermagem da UFBA, Marcos Brandão, diretor de Assuntos Profissionais da ABEn Nacional, Cristina Melo, coordenadora da comissão Científica do 4º SITEn, Valdirlei Castagna, diretor da Confederação Nacional dos Trabalhaores em Saúde (CNTS) e Félix Rígoli, representante da Organização Panamericana de Saúde no Brasil.

O evento seguiu na manhã desta sexta-feira com a Mesa Redonda “Precarização: implicações na formação e no trabalho em enfermagem”, coordenada por Maria Luisa.

Por: Lorena Bertino / Ascom-Fapesb

Fapesb apoia IV Seminário Enlaçando Sexualidades

035. Foto 23.04.2015

De 27 a 29 de maio, a Universidade do Estado da Bahia (UNEB) promove o IV Seminário Enlaçando Sexualidades, em Salvador-BA. O evento tem como foco central temas que sugerem tensões, regras, normas, rupturas, emoções e biopoderes, tanto pelas interações face a face, quanto pelas relações institucionais. O Seminário pretende discutir, caminhar e promover deslocamento em algumas das mais significativas experiências dos sujeitos contemporâneos, bem como em algumas das mais sapientes estratégias institucionais, quais sejam as moralidades, as famílias e a fecundidade.

No primeiro dia, o evento trará o Fórum de extensão universitária “Gênero e Sexualidades: Engajamento Político e Transformação Social”, seguido do Fórum “Corpo, Gênero e Sexualidade”. Neste, as mesas serão compostas por estudantes de pós graduação de diversas áreas (Ciências Sociais, Psicologia, Educação) envolvendo alunos de graduação. O intuito é promover o diálogo entre jovens pesquisadores de todo o país, que trabalhem com questões relacionadas ao tema. Nos demais dias, a programação conta com conferências e mesas redondas, que englobam diversos tópicos em torno da sexualidade.

O IV Seminário Enlaçando Sexualidades conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb).

Para mais informações, acesse o site do evento.

Por: Ascom/Fapesb

Giro na ciência: A Apple abre pesquisa para desenvolvedores de aplicativos médicos

034. Foto 22.04.2015

Pesquisadores da área médica estão empenhados em realizar descobertas que trazem mudanças para a vida de todos. Para isso, foi criado o ResearchKit, uma estrutura de software aberto de pesquisa que torna mais fácil para pesquisadores e desenvolvedores criarem aplicativos que possam revolucionar a medicina, com a possibilidade de transformá-la para sempre.

O ResearchKit pode usar dados de iPhones dos participantes, incluindo acelerômetro, giroscópio, microfone e informações de GPS, e também pode acessar informações de saúde recolhidas por outros aplicativos e acessórios, desde que o usuário do iPhone queira participar do estudo e autorize a utilização de suas informações.

http://techcrunch.com/2015/04/14/apple-opens-researchkit-to-medical-research-app-developers/#.pgxw17:vI6X

Giro na Ciência – Cientistas criam câmera digital que gera sua própria energia

033. Foto 17.04.2015

Câmeras digitais e painéis solares possuem em comum uma característica especial: ambos convertem a luz que captam em corrente elétrica. A diferença está no uso que os aparelhos fazem da corrente. As câmeras medem a intensidade da luz que bate na lente, enquanto os painéis solares geram energia.

Um grupo de engenheiros da universidade de Columbia, em Nova York, decidiu usar essa característica em comum para criar uma câmera que gera sua própria energia. Ou seja: ela pode tirar fotos infinitamente, sem nunca precisar ser recarregada ou ter as pilhas trocadas.

A câmera é feita de sucata e foi apresentada nesta quarta-feira (15) em um congresso de fotografia computacional, a área da ciência que estuda como a computação pode revolucionar a arte de tirar fotos.

A máquina não consegue tirar as fotos ou gravar os vídeos mais bonitos do mundo. Mas essa nunca foi a intenção de seus criadores, que planejam usá-la como uma “prova de conceito”, ou seja, um modelo prático que possa provar um conceito estabelecido por uma pesquisa.

O que torna a câmera especial é seu sensor de imagem. Normalmente, esse componente registra a intensidade da luz que bate na lente da máquia usando milhões de fotodiodos, semicondutores que convertem a luz em corrente elétrica. Essa corrente, por sua vez, é codificada em forma de informações binárias, criando a foto digitalizada.

Na câmera da universidade de Columbia, os fotodiodos alternam constantemente entre o modo de converter luz em informação e de geração de energia, no qual a corrente elétrica carrega a bateria.

Com isso, se a câmera está em uma área com bastante claridade, ela pode tirar uma foto por segundo, indefinidamente, sem precisar ser carregada por uma fonte externa. Os cientistas que a criaram afirmam que essa é a primeira câmera que é inteiramente autoalimentada.

A ideia dos pesquisadores é usar a tecnologia para, no futuro, equipar a chamada “Internet das Coisas”, a rede de aparelhos conectados como fechaduras, eletrodomésticos e lâmpadas.

Fonte: Universidade de Columbia

Diretor geral da Fapesb visita FAPs

Nesta quinta-feira (16/04), o diretor geral da Fapesb, Eduardo Almeida, reuniu-se com o presidente da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), Francisco César de Sá Barreto, no Ceará. (…)

Fapesb apoia evento internacional sobre Mapeamento do Habitat Marinho

032. Foto 13.04.2015

GeoHab (Mapeamento Geológico e Biológico do Habitat Marinho) é um fórum anual realizado por uma associação internacional de cientistas marinhos criada em 2011. O fórum reúne cientistas de todo o mundo que estão desenvolvendo novos métodos e procedimentos para interligar dados de sensoriamento remoto com a geologia do fundo do mar e da biologia marinha dentro de um ambiente geoespacial. Esta abordagem está relacionada à gestão sustentável dos recursos oceânicos e do fundo do mar. O tema da GeoHab 2015 é Mapeamento do Habitat Marinho: Desafios do aquecimento oceânico.

A conferência anual GeoHab 2015 será realizada pela primeira vez na América do Sul, na cidade histórica de Salvador-Bahia, de 3 a 8 de maio. O evento é apoiado pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb).

O GeoHab trará geólogos, biólogos, especialistas em acústica, estatísticos, analistas espaciais e gestores ambientais de todo o mundo e proporcionará um fórum multidisciplinar para a troca de conhecimentos e ideias que apoiam a gestão sustentável do oceano.

Para mais informações, acesse o site do evento.

Por: Ascom/Fapesb

Artigo – Expectativas da comunidade científica

Em artigo escrito para o jornal A Tarde, Edivaldo Boaventura, educador, professor emérito e membro da Academia de Ciências da Bahia, fala sobre as expectativas da comunidade científica com os novos dirigentes da Secti, Manoel Mendonça, e da Fapesb, Eduardo Almeida. (…)

Fapesb participa da Semana do Microempreendedor Individual em Salvador

Semana oferece mais de 3 mil vagas de capacitação gratuitas. Só em Salvador, serão ofertadas 2.746 capacitações, incluindo oficinas e palestras, além de atendimento empresarial

031. Foto 09.04.2015

Uma oportunidade para tirar dúvidas e buscar conhecimento. Durante a 7ª Semana do Microempreendedor Individual (MEI), que acontece de 13 a 18 de abril, simultaneamente em todo o país, os interessados em melhorar o desempenho de seus empreendimentos, e também em sair da informalidade, terão a chance de receber orientações, capacitações e serviços gratuitos, com foco no desenvolvimento de seus negócios. Na Bahia, serão ofertadas 3.570 vagas de capacitações, através das oficinas SEI, de crédito, além de palestras com abordagem de temas diversos. A meta no estado é realizar 11.899 orientações empresariais.

Em Salvador, o evento será realizado em uma tenda montada na Praça Newton Rique, em frente ao Shopping da Bahia (antigo Iguatemi), das 8h30 às 17h30, e sábado até 12h. Na ocasião, o coordenador de Competitividade Empresarial da Fapesb, Alzir Mahl, falará sobre o Edital de Apoio à Inovação em Comércio e Serviço. Na capital, a previsão é realizar 9.153 atendimentos e 2.746 capacitações. A cidade de Feira de Santana também contará com a estrutura de uma tenda para o atendimento ao MEI. O espaço funcionará de 8h30 a 12h30 e no sábado, até 12h. Nos demais municípios, onde o Sebrae possui unidades, as ações da Semana do MEI acontecem nos pontos de atendimento da instituição.

Serão oferecidos serviços de impressão de boletos, além do atendimento ao trabalhador formalizado e ao público em geral interessado em mais informações sobre empreendedorismo. Os microempreendedores individuais que se formalizaram até dezembro de 2014 e que desejam obter informações e o envio da Declaração Anual de Faturamento, cujo prazo de entrega é 31 de maio, também poderão receber atendimento no local.

Com espaço garantido para quem quer gerir melhor o negócio, os empresários poderão participar das Oficinas SEI Vender, SEI Comprar, SEI Empreender, SEI Unir forças para melhorar, SEI Crescer, SEI Controlar meu dinheiro e SEI Planejar. A programação inclui também as palestras “Quero ser MEI”, “Fiado Só Amanhã”, “Bom Uso da Maquineta”, “MEI em Dia com as Obrigações”, além de palestras na área de inovação, entre outras ações.

Como participar

Para participar das capacitações, basta ligar gratuitamente para a Central de Relacionamento Sebrae, no telefone 0800 570 0800, e solicitar a inscrição. No caso de orientação empresarial, o atendimento será realizado por ordem de chegada. No interior, é possível obter mais informações nos pontos de atendimento de cada cidade.

Com uma estrutura completa de espaços para atendimento individual, palestras e oficinas, a Semana do MEI pretende incluir novos empreendedores na economia e provar que é muito mais rentável trabalhar na formalidade, desenvolvendo a capacidade de melhor compreensão das práticas de gestão no dia a dia empresarial. Além disso, busca evidenciar a importância de se efetuar o controle gerencial e financeiro da empresa e permitir que se criem estratégias que visem o crescimento de forma sustentável.

Entre os destaques dessa edição, estão as oficinas SEI, que ensinam os principais pontos para a gestão de um negócio eficiente e lucrativo, e a presença dos agentes do Programa Negócio a Negócio, que vão atender os empreendedores sem ponto fixo de trabalho. O evento possibilita uma excelente oportunidade de ter acesso a serviços de atendimento, orientação e capacitações, que vão auxiliar o empreendedor a trilhar um caminho para alcançar o sucesso nos negócios.

“Durante a Semana do MEI, os empresários terão a oportunidade de acessar uma programação diversificada em nossos pontos de atendimento, nas tendas do Sebrae e junto a instituições parceiras, incluindo orientações empresariais e capacitações gratuitas. Além disso, para os que ainda não enviaram a Declaração Anual, haverá atendimento para quem deseja realizar a entrega do documento, garantindo a adimplência e os benefícios empresariais”, sinaliza a gerente da Unidade de Atendimento Individual do Sebrae Bahia, Fernanda Gretz.

Parcerias

Em Salvador, a 7ª edição da Semana conta ainda com a parceria da UniJorge Comércio, que vai receber as oficinas SEI, e da Ucsal Pituaçu, onde serão oferecidas palestras, oficinas, além de atendimento ao MEI na terça e na quinta-feira. Durante o evento, os Pontos de Atendimento das Mercês, Liberdade e Itapagipe estarão fechados.

Na Bahia, a ação conta com a parceria do INSS, Banco do Nordeste, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Bradesco, SESCAP, SindiConta, Fapesb e Amicro.

Direitos e deveres

O microempreendedor individual deve faturar, no máximo, até R$ 60 mil por ano, não ter participação em outra empresa como sócio ou titular, e ter até um empregado contratado que receba o salário mínimo ou o piso da categoria. Entre as vantagens e benefícios oferecidos com a formalização estão o Cadastro Nacional de Pessoas Jurídicas (CNPJ), o que facilita a abertura de conta bancária, o pedido de empréstimos e a emissão de notas fiscais, o auxílio-maternidade, auxílio-doença e aposentadoria. Além disso, o empreendedor será enquadrado no Simples Nacional e pagará apenas o valor fixo mensal de R$ 39,40 (INSS), acrescido de R$ 5 (para prestadores de serviço) ou R$ 1 (para comércio e indústria).

Informações da Ascom/Sebrae-Ba

Inscrições abertas para Prêmio José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica

030. Foto 08.04.2015

Seguem abertas até o dia 22 de maio as inscrições para a 35° edição do Prêmio José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica. Destinado às iniciativas que contribuam significativamente para tornar a Ciência, a Tecnologia e a Inovação conhecidas do grande público, o prêmio é concedido anualmente pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Cientifico e Tecnológico (CNPq) desde 1978.

Em 2015 a modalidade é “Instituição ou Veículo de Comunicação” e vai premiar a instituição ou veículo de comunicação coletivo que tenha tornado acessível, ao público, conhecimento sobre Ciência, Tecnologia, Inovação e seus avanços. A instituição ou o veículo de comunicação vencedor desta edição só poderá concorrer novamente após 10 (dez) anos a contar da data da cerimônia de entrega do prêmio.

Os interessados devem encaminhar no máximo 15 (quinze) trabalhos considerados os mais importantes e relevantes de Divulgação Científica e Popularização da Ciência, Tecnologia e Inovação, veiculados e difundidos pelas diversas mídias e instrumentos disponíveis: jornais, revistas, livros, internet, mídias sociais, televisão aberta ou por assinatura, emissoras de rádio, museus e similares, instituições culturais, eventos públicos, exposições, teatro, cinema e outros.

A instituição ou veículo de comunicação receberá diploma e passagem aérea e hospedagem para participar da cerimônia de entrega do prêmio na Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), a ser realizada em julho na Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), em São Paulo.

As inscrições deverão ser encaminhadas ao CNPq – Serviço de Prêmios – SHIS Quadra 01 Conjunto B – Bloco B, 1º andar, SALA 101, Edifício Santos Dumont, Lago Sul, Brasília, DF, CEP 71605-170, até 22 de maio de 2015. A divulgação do vencedor será no dia 30 de junho.

O Prêmio – A sua criação, em 1978, representa uma homenagem ao médico, pesquisador, jornalista e educador, José Reis. Ele nasceu no Rio de Janeiro e morreu em São Paulo, no dia 16 de maio de 2002, aos 94 anos de idade.

Em 2015, o Prêmio José Reis de Divulgação Científica e Tecnológica completa 35 edições com a certeza de ter cumprido com o objetivo pelo qual foi criado, honrando o nome que lhe foi dado ao premiar profissionais de alto nível que contribuem com eficiência para a divulgação do conhecimento científico e tecnológico.

A diversidade dos vencedores – entre os quais veículos de comunicação, instituições de pesquisa, equipes de programas de televisão, além de pesquisadores e seus trabalhos individuais – comprova a importância do Prêmio José Reis ao motivar a criação dos mais diferentes mecanismos de divulgação científica e tecnológica.

Para saber mais acesse www.premiojosereis.cnpq.br ou envie uma mensagem para pjr@cnpq.br

Fonte: Coordenação de Comunicação Social do CNPq

Fapesb apoia 4º Seminário Internacional sobre o Trabalho em Enfermagem

029. Foto 08.04.2015

A Associação Brasileira de Enfermagem da Bahia (ABEn-Ba) promove o 4º Seminário Internacional sobre o Trabalho em Enfermagem (4º SITEn). O evento acontecerá em Salvador, Bahia, de 23 a 25 de abril de 2015 e terá como tema central “A Precarização do Trabalho em Enfermagem”. O 4º SITEn conta com o apoio da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia (Fapesb).

Com este evento, a ABEn-Ba busca aprofundar a discussão sobre as transformações do campo do trabalho em enfermagem determinadas pelo modo de produção capitalista e provocar o surgimento de propostas de intervenções para as entidades politicamente organizadas.

Os objetivos do 4º SITEn são:
– Estabelecer bases conceituais para a compreensão sobre o trabalho em enfermagem;
– Divulgar a produção do conhecimento científico e de experiências no campo do trabalho em enfermagem;
– Formular plano de intervenção para ser conduzido pela ABEn e organizações e instituições parceiras.

O evento acontecerá em Salvador-Ba, no Centro de Convenções do Hotel Fiesta e é voltado para profissionais de enfermagem, estudantes da graduação, da pós-graduação e do curso técnico em enfermagem, docentes e pesquisadores.

Inscrições e demais informações pelo site www.aben4siten.ufba.br.

O que: 4º Seminário Internacional sobre o Trabalho em Enfermagem
Quando: de 23 a 25 de abril de 2015
Onde: Hotel Fiesta – Avenida Antônio Carlos Magalhães, 711, Itaigara, Salvador-Ba

Giro na ciência: Cientistas quebram recorde quântico ao entrelaçar 3.000 átomos

IF 028 - Entrelaçamento quântico

O entrelaçamento quântico é um fenômeno que pode conectar duas ou mais partículas até mesmo se elas estiverem muito distantes entre si. Cientistas agora conseguiram emaranhar três mil átomos com um único fóton, abrindo a possibilidade de relógios atômicos mais precisos do que nunca – o recorde anterior era de cem átomos em um fóton.

No entrelaçamento quântico, mudanças em uma partícula causam instantaneamente uma alteração nas outras, mesmo que elas estejam em extremos opostos do universo. O exemplo clássico é um par de partículas entrelaçadas: se uma delas começa a girar para a direita, a outra passa imediatamente a girar para a esquerda.

Entrelaçar partículas, especialmente um grande número delas, não é tarefa fácil. Cientistas do MIT e da Universidade de Belgrado (Sérvia) relatam na revista Nature que conseguiram emaranhar 3.000 partículas presas em uma nuvem super-refrigerada.

O truque é usar luz bem fraca, como um único fóton de luz, que é menos suscetível a perturbar a nuvem do que um feixe forte. O fóton saltou milhares de vezes entre dois espelhos, passando diversas vezes pela nuvem de átomos. Isso foi o suficiente para emaranhá-los, como explica a LiveScience: “Se um fóton interagisse com os átomos da nuvem, a polarização do fóton iria mudar um pouco. Estranhamente, no reino da física quântica, o ato de realizar observações pode influenciar drasticamente o objeto sendo observado. Por isso, o ato de detectar um fóton que interagiu com esses átomos pode basicamente gerar emaranhamento entre esses átomos”.

A descoberta pode ser utilizada em relógios quânticos: quanto mais átomos estão entrelaçados, mais preciso é o relógio. Os relógios atômicos são usados ​​para manter o controle de sistemas de GPS. Essa técnica pode até ser usada para driblar a incerteza das medições quânticas, como explica em detalhe o Physics World.

Isso também poderia ser um passo em direção a estados emaranhados complexos, que podem nos levar à computação quântica e à criptografia quântica.

Com informações de Gizmodo

Fonte: http://imasters.com.br/noticia/cientistas-quebram-recorde-quantico-ao-entrelacar-3-000-atomos/

Coordenador de Competitividade Empresarial da Fapesb fala sobre apoio a Comércio e Serviços

028. Foto 01.04.2015

Muitas vezes o empresário quer inovar, mas não sabe por onde começar. Em entrevista à Rádio CBN, o coordenador de Competitividade Empresarial da Fapesb, Alzir Mahl, falou sobre o Edital de Apoio à Inovação em Comércio e Serviço, que está com inscrições abertas até o dia 29/05/2015.

“Neste edital, especificamente, nós ampliamos o conceito de inovação. Não necessariamente o edital estabelece uma inovação tecnológica, portanto, é um conceito mais amplo.”

Para saber como o edital da Fapesb pode apoiá-lo em seu negócio, confira a entrevista de Alzir clicando neste link.

Confira o Edital.

Eduardo Almeida toma posse como novo diretor da Fapesb

027. Foto 31.03.2015

O novo diretor geral da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia, Eduardo Santana de Almeida, tomou posse, nesta terça-feira (31/03), em Salvador. A solenidade ocorreu no Auditório Lazareto, na Fundação, e contou com a presença de autoridades e representantes de entidades ligadas à Fapesb.

Eduardo falou sobre a sua trajetória, desde a primeira bolsa de estudos em 2002, concedida pela própria Fapesb, que o possibilitou concluir o Mestrado, até o período entre 2009 e 2015, em que atuou fortemente com diferentes agências de pesquisa no Brasil e Exterior, incluindo a Fapesb, onde teve diversos projetos apoiados nas linhas de pesquisa e inovação.

O novo diretor disse que pretende contribuir de forma significativa com ações estratégicas para o estado, que incluem o fomento aos cursos de Pós Graduação; o fortalecimento dos acordos de cooperação internacional; o fomento à pesquisa e inovação em áreas estratégicas para o Estado; e o aumento da eficiência na condução dos processos administrativos da Fapesb.

Ao encerrar seu pronunciamento, Eduardo disse que pretende corresponder não só à confiança do Governo, mas também da comunidade de pesquisa e inovação do Estado da Bahia, que quer ver, entre outras coisas, o estado no papel de protagonista no cenário nacional e internacional.

O secretário da SECTI, Manoel Mendonça, disse estar muito feliz com a nomeação de Eduardo para diretor da Fapesb, e ressaltou a importância do alinhamento entre a Secti e a Fapesb: “Todo esse alinhamento vai ajudar muito a fazer um planejamento melhor e mais consistente da Ciência e Tecnologia no estado em várias dimensões”. O secretário também destacou a capacidade de trabalho do novo diretor: “Todos veem que ele é bastante jovem, mas é um pesquisador que tem três livros, duzentos artigos científicos em pouco mais de oito anos de doutorado, e tem uma experiência internacional muito grande aliada a isso, uma experiência de interação com empresas, com projetos de inovação que também têm muito destaque e outras coisas que ele não citou no currículo. Isso destaca ele como pesquisador”.

Manoel Mendonça falou, também, sobre a evolução da Fapesb e da grande quantia de recursos dedicada a bolsas de estudo: “A razão disso é a quantidade de programas de pós-graduação que a Fapesb ajudou a estabelecer em sua curta história. A Bahia fez um trabalho muito bom nessa área e espero que consigamos dar prosseguimento”, concluiu o secretário.

Marcaram presença na solenidade de posse, dentre outros, os ex-diretores da Fapesb, Cleilza Andrade, Alexandre Pauperio e Dora Leal Rosa, o reitor da Universidade Federal da Bahia, João Carlos Salles, os reitores das Universidades Estaduais, José Carlos Santana, Paulo Roberto Santos e Adélia Pinheiro, o Chanceler da UNIFACS, Manoel Joaquim Fernandes Sobrinho, o Professor Emérito da Ufba, Edivaldo Boaventura, e o Diretor da Fiocruz, Manoel Barral.

Por: Lorena Bertino – Ascom/Fapesb

Giro na ciência: Carros voadores: por que ainda não os temos?

Quando o desenho animado Os Jetsons foi lançado, nos anos 1960, todas as fichas foram apostadas nos carros voadores. Mas agora, mais de 50 anos depois, continuamos sobre o asfalto. (…)

Robôs e crianças aprendem a escrever juntos

Quem é o professor: o aluno ou a máquina? Ao mostrar a um robô como escrever as letras, as crianças melhoram suas habilidades de escrita e ganham autoconfiança. (…)